COQUETEL…QUEM GOSTA ?


download (14)

Sua origem é bastante remota. Na Grécia Antiga, se misturava, ao vinho, desde água do mar a mel de abelhas ou mesmo vinagres para dissolver e abrandar seu gosto, tendo, assim, umcocktail. A exemplo do Irish Coffee, que, quando surgiu, nada mais era que álcool de centeio e água quente servidos aos marinheiros do capitão […]


Sua origem é bastante remota. Na Grécia Antiga, se misturava, ao vinho, desde água do mar a mel de abelhas ou mesmo vinagres para dissolver e abrandar seu gosto, tendo, assim, umcocktail. A exemplo do Irish Coffee, que, quando surgiu, nada mais era que álcool de centeio e água quente servidos aos marinheiros do capitão “Grog“, da marinha britânica. Na Idade Média, durante as festas de Natal, se misturavam sucos de frutas e passas e frutas secasaos destilados, acompanhados sempre de Vinhos, espumantes ou não, pois estes eram muito fortes, com graduação alcoólica de 60 a 80 graus G.L.

Naturalmente, a coisa foi evoluindo das primitivas misturas para combinações mais elaboradas e atraentes. Como em quase todos os conhecimentos adquiridos pela humanidade, a habilidade em se produzir coquetéis deu-se empiricamente, com o acumulo gradual de experiências, passando da mistura aleatória de bebidas para uma prática sistemática de produção, de manifestação reconhecida de talento e criatividade. Desta forma, não o surgimento, como defendem alguns estudiosos do assunto, mas sim a consolidação e o amadurecimento da habilidade técnica na manipulação e na combinação de bebidas aconteceu na Inglaterra em meados do século XIX. Em seguida, alastrou-se pelo resto da Europa.

Entretanto, foram os americanos que realmente popularizaram e consagraram o cocktail, principalmente a partir da década de 1920, ironicamente durante a vigência da lei seca nos Estados Unidos. Era um meio de se amenizar o terrível gosto das bebidas fabricadas ilegalmente e também uma forma disfarçada de se beber sem chamar a atenção das autoridades. Foi o caso por exemplo, do Bloody Mary.

Muitos coquetéis são populares no mundo todo mas alguns alcançaram a condição de astros, verdadeiros ícones pops da cultura ocidental, como o Martini, o drinque americano que é um dos símbolos do american way of life, ou a Margarita, a latina que emigrou para o norte e conquistou o coração e o paladar dos gringos. E é claro, aCaipirinha, que, se ainda não é tão universal quanto os demais, é, com certeza, o predileto dos brasileiros.[carece de fontes]

Existe, nos Estados Unidos, uma cultura alcoólica muito rica e diversificada e um mercado muito forte, o que, evidentemente, propiciou condições adequadas e favoráveis, se não ao surgimento, pelo menos para uma enorme popularização dos coquetéis. Por outro lado, é na Europa que se encontra a grande produção das mais diversas bebidas alcoólicas, além, é claro, de ser o berço destas mesmas bebidas.

Ao importar-se métodos, conceitos, denominações, ingredientes e demais tópicos agregados à produção de coquetéis, fatores como diferenças culturais, de costumes, de hábitos, de clima e até mesmo modismos interferem no resultado final da produção de um coquetel. Além do que certos ingredientes originais ou não existem ou não são tão facilmente encontrados num outro país, obrigando, muitas vezes, a utilização de produtos similares (geralmente mais baratos) na feitura de um coquetel. Assim, a soma destes fatores faz com que, eventualmente, um mesmo coquetel, com a mesma denominação, com a mesma provável origem e com mais ou menos a mesma base de ingredientes chegue a um resultado diferente em um novo país, às vezes sutil, às vezes tão marcantemente distinto que se poderia classificá-lo como sendo um outro coquetel.

Fonte : Wikipédia.


Tags:

Compartilhe:

Deixe seu comentário: